domingo, 5 de dezembro de 2010

É a vida, é o que dizem.

São sempre momentos tristes. Independentemente da proximidade maior ou menor com a pessoa. Mas, quando nos é muito próxima, como foi no caso do meus avós, a sensação é completamente diferente, é certo. O aperto que se sente no peito, a sensação de ter as lágrimas sempre a escapar, a emoção mesmo à flor da pele. O "não querer que aquele dia inevitável chegasse", mas saber que vai acabar por chegar, porque, infelizmente as pessoas não duram para sempre. Foram momentos difíceis, naquele mês de agosto em que os meus avós partiram, e mesmo agora ainda há alturas que custa um bocadinho. Felizmente, nunca passei pela morte de um familiar chegado ainda novo, porque nesse caso, acredito que a dor seja muito maior..e espero que nunca venha a passar por isso.

Isto tudo para dizer que, neste dia triste de Outono-Inverno, acabei de chegar de mais um velório. Já lá vão uns quantos,infelizmente, a família vai ficando mais pequenina..e espero que tão cedo não tenha mais "surpresas" destas.

beijinho*

4 comentários:

Alex disse...

Como te percebo. Também passei o mesmo há umas semanas atrás. Custa. Custa muito. Estamos tão habituados á sua presença que por vezes não damos o devido valor. Todos sabemos que vamos passar isto um dia. Esperamos é sempre que seja o mais tarde possível. Mas estes momentos chegam quando menos esperamos e quando menos queremos. E quando é a pessoa com quem vivemos toda a vida e que temos o orgulho de sentir como pai a dor é ainda maior. Éramos 3.... Restamos 2.
Só te posso desejar e querer que tenhas força, na mesma proporçao que me deram a mim. E foi muita. Muita mesmo. Espero que contigo se passe o mesmo.

ps: Eles partem. A vida segue. A saudade cresce. As memórias perduram.

Lacorrilha disse...

Em Outubro fez um ano que a minha avó materna morreu e por incrível que pareça, custa-me muito mais agora a ausência dela.
Parece que só agora me estou a aperceber que fiquei mesmo sem ela.
Ainda dizem que o tempo cura tudo. Deve ser, deve.
Beijocas e força.

Caia disse...

Num dado momento, chegam as despedidas... e custa tanto!

Vida de Praia disse...

Uuuuf... os meus pêsames :-S Eu imagino como te sentes; também lido muito mal com a morte e prefiro "vírgulas" a "pontos finais".
:-*