quinta-feira, 25 de junho de 2009

Poesia


Porque ultimamente ando a ler poesia e porque em Fernando Pessoa (e heterónimos) sempre encontrei os poemas que mais gosto d ler. Deixo aqui um:


Não sei quantas almas tenho


Não sei quantas almas tenho.

Cada momento mudei.

Continuamente me estranho.

Nunca me vi nem achei.

De tanto ser, só tenho alma.

Quem tem alma não tem calma.

Quem vê é só o que vê,

Quem sente não é quem é,


Atento ao que sou e vejo,

Torno-me eles e não eu.

Cada meu sonho ou desejo

É do que nasce e não meu.

Sou minha própria paisagem,

Assisto à minha passagem,

Diverso, móbil e só,

Não sei sentir-me onde estou.


Por isso, alheio, vou lendo

Como páginas, meu ser.

O que segue não prevendo,

O que passou a esquecer.

Noto à margem do que li

O que julguei que senti.

Releio e digo: "Fui eu?"

Deus sabe, porque o escreveu.


Fernando Pessoa


Porque hoje deu-me saudades das minhas aulas de português e de psicologia no secundário..às vezes gostava de voltar a essa altura =)


beijos*

3 comentários:

'S O 'S disse...

Secundário... Quando te tinha juntinha a mim ;)

ÉS-ME MUITO amooor* =D

Beijinhooo*

Senhor das Chaves disse...

Obrigado pela dentaduça que deixaste no meu blog :o)) lamento informar-te, mas as marcas do gelado num sao tuas lol

Espero que o dia de ti tenha corrido benzinho :o))

Também gosto muito de Fernando Pessoa. Infelizmente, muitas vezes só gostamos dos poetas depois de eles estarem mortos e enterrados :o)

Stammi bene :o)

Shakti disse...

Bem bonito sim senhora...bela mas difícil escolha !

Bj